De santiago a Atacama

03/09/2016 09:28

 

 

01 de setembro

Dia de começar a pedalar, sair de Santiago. Fim das férias  no Rio.  Sempre meio tenso sair de uma grande cidade. Me despedi de Pilar e seu cachorro Tufo e segui para Curacavi para casa de Jimena e familia. Chegando lá fui muito bem recebido. O trajeto foi rápido e cheguei na hora do amoço. Fui recebido Jimena e seu pai, depois sua mãe apareceu. E já me convidou para o amoço, frango com arroz e salada de tomate e repolho roxo. Muito amáveis e curiosos com a viagem. Jimena era arqueologa e gostava muito de viajar. Depois fui descansar e a noite comi um delicioso lanche (once) com sopaipilla(pão frito), também doce chileno e chá.  Depois ficamos conversando eu Jimena e sua mãe até tarde, na hora de dormir. Seu pai ficou vendo o jogo das eliminnatorias Chile e Paraguai. 

 

02 de Setembro -  De Curacavi à Valparaiso

Saindo de Curacavi me despedi da familia recebi um pão com queijo e escova de dente de presente de sua mãe. Segui estrada com descida e subida nao muita. Ate chegar a um tuneo Zapata que nao podia passar de bicicleta e não tinha acostamento. Lembrei e minha amiga Pilar de santiago que tinha falado nesse tuneo e disso que eu ligasse para o SOS, telefone que ficava a frente do tuneo para um carro ir ate mim e me levar ate o outro lado. Chegaram em 10 minutos e bicicleta posta fui ate o outro lado do tuneo. Depois continuei ate Vina del Mar com bonita praia e segui pela praia ate Valparaiso. MInha amiga Janett combinou comigo na praça de carro , chegamos praticamente juntos as 18:30. Depois subimos o morro para ver o Por do sol . Valparaiso e cercada de morros com casas e beleza fora do tradicional com muita arte e grafite nas paredes das casas. Parece um pouco Santa Tereza no Rio. 

Depois fomos ao mercado e ate sua casa. Depois fomos pegar seus dois filhos Efraim de 8 anos e Matheus de 5 anos.  Na volta fiz uma pasta com cogumelos acrescentei um molho de alho que Janett tinha feito. FIcou muito bom e tomamos um bom vinho casillero del diablo. Dormi depois no sofá.

03 de Setembro

Saimos para conhecer Valparaiso. Muita arte e beleza . Cidade diferente das demais do chile. Gostei muito. Muitas fotos de seus grafites, ruas com musica e artesanato. Depois fomos a casa de Pablo Neruda e tiramos fotos na praça do mesmo nome. 

Mais uma caminhada na cidade alta. Depois janett foi pegar os filhos e combinei com ela na praça. Fomos a uma festa da prima que ia ter bebe. Um pouco chato mais acabei conhecendo seus pais, muito diferente da artista Janett, que disse que sempre foi a ovelha negra da familia. ENtendo pois ser artista e ser 100 anos a frente de seu tempo nao é todo mundo que entende . Mais me identifiquei muito com ela e a entendia. 

04 de setembro

Passeando por Valparaiso consigo entender porque Pablo Neruda vivia nesse lugar incrivel. Depois fiquei sabendo que o McDonalds não deu certo e fechou as portas. Seus dignos moradores preferiram comprar e se alimentar com comidas locas nas lindas ladeiras, cercada de muita arte, linda paisagem. Fomos caminhar pela feira de pulgas onde milhares de comerciantes vender coisas novas e usadas. Tambem fui informado que os moradores não querem um shopping na cidade. Nao precisavam.

Fomos a praia a tarde eu e Janett. Eu de Calça comprida, bota e jaqueta. Nao parecia um carioca na praia e sim na neve. 

5 de setembro
Saímos de carro pela praia em direção a Rica Viña del Mar. Eu e Janet minha amiga artista de Valparaiso.  É impressionante como Viña tão perto de Valparaiso pode ser tão diferente. Viña com seus prédios caros e Valparaiso com a arte em suas casas caras e simples. Chegamos em Concom na orla e paramos em frente à linda vista de Mar, rochas e, dunas e verde. Talvez a parte mais bonita de Viña del mar. O resto é aquela superficialidade que a riqueza tem. Depois fomos comer uns pasteis no restaurante Rincon de Charlie que minha amiga fazia uns trabalhos artísticos. Deliciosos pastéis  grandes de camarão, caranguejo, cogumelos com queijo que almoçamos. No andar de cima havia o comedor ( assim chamado pelos chilenos ao segundo andar do restaurante). E eu brincando com minha amiga que as pessoas chegavam para relaxar e iam direto ter um delicioso prazer com o comedor. No Brasil não ia dar certo esse nome. Risos. Depois fomos a uma praia onde deitamos na canga e relaxando, agora com trajes de praia. Diferente do dia anterior que estivemos de calça, jaqueta e bota. Ao entardecer voltamos a Valparaiso a andar por suas lindas ladeiras recheadas de arte e amor. 
Depois passamos na padaria e compramos deliciosos doces para compartir junto com seus filhos. Pegamos seus filhos na casa de sua mãe e fomos para sua casa. 
 
 
 
06 de setembro - 
 
Eu iria continuar viagem mais Janet me chamou para ir com ela de trem e sua simpática amiga para a cidade de Lá valerá a 40 km de Valparaiso, lugar que elas iam trabalhar. Como eu gosto muito de trem resolvi ficar mais um dia. Chegando lá fiquei caminhando  pela cidade enquanto ela é sua amiga trabalhavam. Depois fomos um cafe comer empanada. A tarde fomos a praia e a noite  na casa de sua irma com amigos e amigas compartir e comer. Depois vimos o jogo do chile contra a bolivia que terminou empatado. 
 
07 de setembro - Villarica a Maitencillo
 
Dia de partir, segui para Maitencillo e 30 km depois de sair de Villarica encontrei um casal de Franceses vindo de La serena de bicicleta. Conversamos um pouco e segui ate a casa de Paolo em Maintencillo. Paolo nao parecia um chileno comum, seu estilo e gosto pelos esportes nao parecia com  o estilo tradicional dos chilenos. Sua casa tambem  foi reformada e tinha muita arte. Seu amigo um argentino era tatuador e musico, gente fina tambem. Fui recebido super bem em sua casa. A noite suas amigas foram para fazermos uma aula de yoga em sua casa, uma delas era professora. Muito legal. Mais estilo meditaçao. 
 
08 de setembro - Maitencillo a Catapilco
 
Sai e pedalei somente 20 km e cheguei em Catapilco, pequena cidade e tranquila. Tambem fiquei na casa do couch Gerardo e cintia. Chegando na cidade algumas crianças do colegio que estavam ensaiando para a festa da indendencia do dia 18 de setembro me viram e foram a te  mim. Tiramos self e elas curiosas sobre a viagem.  Depois fui ate a casa de Gerardo, a empregada me atendeu pois gerardo estava trabalhando. Tomei banho e almocei enquanto esperava gerardo. Depois ele chegou  e conversamos. Fui com ele ate um outro terreno que ele tinha depois voltamos e alimentamos suas galinhas.

 

09 de setembro
 
Despedi de Cyntia e Geralrdo e das crianças.  Ainda fiquei na casa deles sozinho arrumando as coisas e tomando café da manhã, me deixaram a vontade. 
Era dia de longo pedal de 90 km até los ví-los. A estrada era boa apesar do grande número de caminhões e carros. Coloquei minha música e fui pedalando tranquilo pelo bom acostamento. 
Como tinha marcado com minha couchsurfing nova amiga Veronica as 19 horas fiquei tranquilo. 
O pneu furou e aproveitei para almoçar na estrada um macarrão que havia feito na casa de Gerardo. 
Cheguei ainda de dia na tranquila los vilos. E fui pedalando até a casa de minha amiga. Uma casa agradável com linda vista para o mar e por do sol. Conversamos, fizemos um lanche. Veronica era a primeira vez que  recebia alguma pessoa do couchsurfing. Mais já tinha sangue aventureiro nas veias. Gostava muito de viajar e de bike. Pensava fazer uma viagem longa também em breve. Em 20 dias ia a Itália de férias. Cada vez mais vejo que essa rede de viajantes, solteiros(as) e desapegados do mundo de posses aumenta. Querendo uma vida de conhecimentos quase nômades. 
 
10 de setembro
 
A irmã dê Veronica chegou e conversamos também. Estava iniciando no mundo  das viagens.  A tarde foi incrível pois iríamos a casa de sua amiga Fernanda e Alfonso, um Couch que eu havia comunicado antes de ir a casa de Fernanda. O mundo é mesmo pequeno. 
Fernanda amiga de Veronica era uma chilena que amava o Brasil é falava muito bem o Português, era a Chilena mais baiana de todas. Amava a Bahia. Conversamos muito em Português. Estudava e trabalhava em Santiago e havia chegado naquele dia a Los Vilos. Sua família tinha uma lan house e recebia muito turista em sua casa pelo couchsurfing, warmshower e quando encontrava na cidade principalmente Cicloturistas. Em sua casa estava Rafal um polonês que viajava em bicicleta a 11 anos. Era também músico e a noite tocou para nos sua bonita música em polones, inglês e espanhol. Em sua boca juntava uma gaita  é um pandeiro pequeno em seu pé completavam o criativo personagem. Rafal já havia conhecido 56 países pela Europa, América do Sul, África e um poco de Ásia. 
Fernanda, a Baiana chilena, fez brigadeiro a moda chilena com raspa de casca de laranja e vinho. O brigadeiro não era conhecido no Chile e Fernanda disse que havia feito em Santiago alguns para vender de diferentes sabores e fazia muito sucesso.  Terminamos o encontro já se passava das 3 horas a madrugada. Foi muito bom conhecer todos. 
 
11 de setembro
 
Domingo nublado de descanso. Veronica foi a casa de sua mãe almoçar e eu fiquei caminhando pela bonita praia. Depois comprei deliciosos pastéis de forno e levei até a um banco em frente ao mar onde sentei e me alimentei meu estômago e a alma com a linda vista. 
 
Veronica na volta de sua mãe passou por mim e fomos junto para sua casa. Havia comprado leite condensado para fazer brigadeiro. A tarde o polonês e a chilena Baiana foram nos encontrar na casa de Veronica. Compartimos mais um pouco e o dia terminou tão especial quanto o dia anterior. 
 
12 de  setembro
 
Resolvi voltar a Valparaiso de ônibus na casa de Janett a artista que eu havia ficado em sua casa dias atrás. Tínhamos uma atração é uma conexão também mental muito forte e ela também queria me ver e eu a ela. Então resolvi voltar para passar alguns dias mais em sua companhia. Peguei o ônibus e fui.
Cheguei na rodoviara de Valparaiso e fui caminhando até a lanchonete. Depois me encontrei com Janett e fomos ao mar depois a um cafe. 
 
13 de Setembro
 
Fui fazer algumas fotos cartao de viagem em VIna del Mar. A noite com janett um filme no Netflix.
 
14 de setembro
 
Participei de uma aula , ainda em valparaiso, de Arte Terapia com Janett como professora. Depois fomos a noite a discoteca dancar Salsa.
 
 
16 de setembro
 
Dia de despedida de valparaiso. Ia voltar de Onibus para Los Vilos, mais quando cheguei na Rodoviaria nao havia passagem . Tive que comprar para dia seguinte voltei para casa de Janett. 
 
17 de Setembro
 
Como tinha a viagem so para  noite fomos ao parque com seus filhos e aproveitamos as ultimas horas intensamente .
Despedida sempre um pouco triste. Mais senti que ainda nos veriamos novamente. 
 
Cheguei a noite a Los Vilos na casa de Veronica. Ela ia viajar para Italia em dois dias.
 
18 de Setembro
 
Fui para casa de outros amigos cicloturistas tambem em Los Vilos. Alfonso e Fernanda e sua mãe super cabeça aberta Lucy. Alfonso iria em breve viajar de bike por longo tempo e Fernanda estava planejando sua proxima viagem. 
Eles tinham uma casa que recebiam os cicloturistas e viajantes. 
A noite fui participar da festa patria na casa deles. Com seus primos e familia.
 
19 de Setembro
 
Comi algo dia anterior que não caiu bem em meu estomago. FIquei o dia todo na casa do ciclista de Los Vilos dencansando. Sai duas vezes apenas para comprar frutas e coca cola. Fernanda e Alfonso trouxeram um remedio a base  de  vinagre, limao e bicarbonato. Muito legais os dois. 
Como a ultima semana foi muito intensa para mim em Villarica e Los vilos penso que a doenca foi um pouco emocional. A noite falei com Janett de Villarica e ela me disse que tambem comeu algo que nao bateu bem em seu estomago . Os dois juntos, muito louco isso. 
 
20 de Setembro
 
Ja acordei bem melhor. E fui a casa de Fernanda e Alfonso. Escutamos musica brasileira e almoçamos. 
 
21 de setembro
 
A noite teve um show muito bom de folclorico Chileno em frente da casa de Fernanda e Alfonso.
 
22 de setembro
 
Fui até Vinha del mar tentar comprar saco de dormir. Sai bem cedo de Los Vilos. Ainda estava escuro. Cheguei às 10:00em Viña del Mar.  Fui em direção ao shopping que havia lojas específicas como Marmmot, North face e a chilena Doite. Cheguei cedo e tomei café na praça. Sentei e fiquei observando pessoas e carros de um lado para o outro em seu ritmo acelerado. Fui às lojas mais não achei o saco de dormir que queria. Acabei passando a tarde com Janett. Foi ótimo mais uma vez. Como nunca sabemos se vamos nos ver novamente curtimos intensamente como se fosse a última vez que nos vimos. Almoçamos e fomos à praia. Depois ao shopping. Tudo em Viña del mar. Depois fomos de ônibus até Valparaiso onde ela desceu um ponto antes e eu acabei indo para Santiago comprar o saco de dormir. Minha amiga de Los Vilos Fernanda foi outra vez maravilhosa e fiquei na casa dela, pois ela foi coincidentemente a Santiago fazer uns exames. Cheguei e fomos à casa de seu amigo pegar um colchão inflável emprestado. Depois fomos à sua casa bem pequena onde sua amiga dormia com o namorado em uma cama. Eu fiquei no chão daquela pequena casa pensando que maravilhosa pessoa era Fernanda, mais uma nessa viagem.  Tomei banho e me enxuguei com uma camisa quase toalha que tinha.
 
23 de setembro
Compramos iogurte e tomamos um saudável café da manhã com banana, aveia e mel. Depois sai com Fernanda, ainda passamos no seu antigo trabalho, um bar e enquanto ela falava com as amigas eu tomava um café. Ela voltou para Los vilos e eu fui atrás do saco de dormir que não encontrei o que queria perto e fui ao shopping do esporte onde tinha mais opções. Acabei encontrando com desconto um da Mountain Hardweare uma conceituada marca de produtos de esporte de montanha . Valeu a pena esperar. Depois fui a rodoviaria para voltar a Los vilos. Cheguei a noite  a Los Vilos e conheci um novo hospede que estava lá um cara da Bela Russia que estava viajando de carona pela europa e America do Sul a 18 meses.  
 
24 de setembro 
Dia de despedida. Coincidentemente eu, Alfonso e o Bielo Russo iriam viajar no mesmo dia , cada um para um lugar diferente. Eu sai primeiro e dormi 60 km depois atras  de  um posto de pedagio. Armei minha barraca. O pedaio havia banheiro. Dormi tranquilo sem ser incomodado.
 
25 de setenbro
Sai do pedagio cedo, chuviscava. Trecho com muita subida e descida.  20 km depois parei em um restaurante no meio da estrada, quase um oasis, para comer um frango com arroz, pao e coca-cola. Depois parei para tomar um cafe e comi com o pão que eu tinha. Faltavam 20 km para eu chegar ao meu destino final e um carro parou na minha frente, um suiço de nome Pascoal estava dando a volta ao mundo de bike e no momento estava indo de carro para ir ao encontro de seu pai que tinha vindo visitar ele em San pedro de Atacama.  Me deu um suco e agua.  Cheguei ao posto de combustivel e fiquei no camping ao lado chamado socos. Um camping lindo com uma tranquilidade inigualavel. Bem estruturado e com muitos passaros. 
 
26 de setembro
Continuei pela Panamericana com subidas e descidas. Já sai tarde do camping. Aproveitei fiz o almoço para comer antes de sair. Depois fui a lanchonete do Dono do camping para comprar alguma coisa para levar. Estava em ritmo lento e a paisagem estava já parecida com clima de deserto muito seco e com cactos.  Já chegava ao final da tarde e eu tinha que decidir se continuava pela rota 5 ou entrava em direção par a cidade de Tongos a 15 km, decidi entrar e encontrei uma cidade super tranquila e um camping na praia chamado Ripipa. Coloquei minha barraca no meio da areia  embaixo da arvore. E dormi ao som das ondas. O que mais poderia desejar para o fim  do dia. 
 
27 de setembro
Dia de chegar a Coquimbo, que ficava ao lado de La Serena. Fui recebido super bem pela amiga do couchsurfing professora de teatro Maud. E me recebeu com um delicioso peixe. Seu apartamento tem uma linda vista para o mar com espetaculares gaivotas vindo em direção ao seu apartamento e desviava ao chegar. Depois Jack um americano que a contactou pelo couchsurfing ia chegar as 18hs. Tambem era viajante de carona, a  4 anos pelo mundo  tinha 60 anos e havia comprado uma kombi que tinha cama, cozinha e painel solar. A noite tomamos vinho e pisco sour e escutamos musica na sua vitrola com velhos lps.  Jack desceu e dormiu em sua kombi e eu no quarto. 
 
28 de setembro
Fomos ao shopping de La serena , ver o problema do chip do jack que não funcionava, acabei comprando uma calça para pedalar, na volta fomos ao mercado de peixe comprar um peixe.  Tirei uma soneca enquanto maud foi a sua aula de violoncelo  e jack foi resolver algumas coisas. A noite  fui conhecer um pouco Coquimbo com Maud. A cidade vazia,  pois como era centro as pessoas ja tinham ido para sua casa. Alguns grafites nos muros da biblioteca lembrando um pouco valparaiso. E por acaso entramos no centro cultural Palace e vimos um show gratis  dos sessentoes retro mania, tocando musicas antigas do chile.  O guitarrista e vocalista tinha uns 80 anos e seu nome era Oscar Humberto. Na saida saimos e comemos uma torta de nozes com suco de papaia.
 
29 de setembro
Saimos com destino a Vale de Elqui. La fazia sempre sol ao contrario do nublado coquimbo. Montanhas maravilhosas no caminho . A bike dobravel foi atras do carro no porta mala. Fomos os tres mosqueteiros a feira depois quase chegando  a mamalluca  . Comemos uma deliciosa pizza em diaguitas e pedi mais uma.  Um povoado tranquilo , sem ninguem na rua. Com casas simples e coloridas e ruas bem estreitas.  Depois fomos ao mercado para comprar algo para levar para casa do amigo de Maud adan. Chegamos e mamalluca na casa de Adan, um lindo lugar em frente a estrada e em volta lindas montanhas, em frente a estrada com poucos carros. Compartilhamos e fizemos um churrasco de frango. A noite subimos a estrada so iluminada pelas faixas brancas e pelas estrelas. Foi incrivel. Parecia que estava em outro planeta. Cantamos na estrada, dançamos, e desfrutamos esse momento unico. Depois dormi na minha barraca, do lado de fora um dos ceus mais estrelados que já havia visto na minha vida. Jack e Maud dormiram no carro para voltar a coquimbo  por la manha.  E passaram frio. Adan o dono da casa ofereceu a ela que dormisse na sua cama mais ela preferiu dormir no carro.
 
30 de setembro
Maud e Jack partiram de volta a Coquimbo e eu continuei mais um dia naquele incrivel lugar. Sai com Adan caminhando pela estrada ate Vicuna. Faltando pouco para chegar uma amiga sua de carro nos deu uma carona. Peguei um onibus e fui visitar pisco esqui e novamente um passeio muito bonito por uma estrada estreita e lindas montanhas e vinhedos que produziam as uvas para fazer pisco sour( a caipirinha do chile). Passei um pouco pela encantadora vila e depois voltei a Vicuna. La fui atras de um sax de bambu ou andino que um morador fazia e eu estava interessado em comprar. Consegui seu telefone, mais não comprei. Fui andando até a casa de meu amigo, dessa vez subindo a estrada . E novamente uma paisagem impressionante. Chegando na casa usei seu banheiro quimico que não havia descarga era somente um buraco e depois colocava areia por cima. Depois dormi quase ao lado da barraca vendo aquele lindo céu estrelado. Nesse lugar quase todos os dias fazem sol e o céu é sempre azul e estrelado.  Adan so chegou depois de eu estar dormindo, tinha ido a La Serena. 
 
 
01 de Outubro
 
Nove meses de viagem completado. Parece que foi ontem. Muito conhecimento, pessoas, comidas e lugares visitados. Cada dia mais animado com a viagem e feliz de ter a oportunidade e a sabedoria de viajar de bicicleta. Muito obrigado a todos que me ajudam e me ajudaram. 
Voltei para La serena, o caminho foi praticamente so descida e plano mais alguns momentos com alguma subida e vento forte. Atenção tambem na estrada pois era domingo, dia de muito carro e alem do mais um pequeno acostamento. Encontrei dois cicloturistas chilenos e conversei um pouco com eles. Parei na metade do caminho em uma casa de sucos e tomei um suco de chirimoia( parecido a fruta de conde do Brasil), nesse momento contactei maud e ela me permitiu voltar a sua casa em Coquimbo, porém só chegava as 19hs, pois havia ido passear com o Americano. Cheguei a La serena e sentei em um restaurante para comer pastel e suco de manga. Depois segui lento pelos 8 km de orla até coquimbo. Linda paisagem, mar e passaros. Parei em frente ao mar em um banco, sentei. Logo depois um Venezuelano veio até mim curioso com a viagem. Conversamos e dei uma foto da viagem para ele. Trabalhava no bar ao lado. Chamou seus amigos que ficaram deslumbrado com a viagem.  Depois segui e quase anoitecendo ia tirando fotos do lindo pôr do sol até a casa de Maud. 
A noite Jack fez o jantar, uma deliciosa massa com frutos do mar, depois chegou uma amiga de Maud que falava bem o portugues e outro amigo António que conhecia o Rio e tinha morado no catete, um bairro perto onde eu morava. Conversamos ate a madrugada e tomamos vinho chileno. 
 
02 de outubro
 
Ia seguir hoje a viagem mais Maud me convidou para ir de carro ate Tongoy por onde eu havia ficado dias atrás em um agradavel  camping.  Fomos a feira antes e seguimos depois para Tongoy. Chegamos na casa de seu amigo que costumava viajar de veleiro pela America do sul e recentemente voltou de uma viagem de seis meses. Tambem corria maratona e tinha uma excelente forma fisica apesar de seus 60 anos. Fomos a praia e comemos mandarina(prima da tangerina) que eu havia comprado na feira e levado para a viagem. Voltamos e encontramos outra sua amiga que estava trabalhando em uma festa na rua para o candidado politico local. Sentamos em uma das mesas, comemos e escutamos o candidado politico  com todas aquelas promessas locais. Depois destribuiu calendario e no final da festa tiramram rapido mesas e cadeiras da rua.  Fomos ate a casa de sua amiga, uma chilena que falava Russo e ja havia viajado por muitos paises . Reparei que tinha um buda negro em sua casa , o que me chamou atenção. Disse que tinha comprado em uma de suas viagens a Filipinas. 
Ela havia construido sua casa em Tongoy e tamb´em feito um lindo jardim em frente a bonita casa. Depois voltamos para Coquimbo onde eu fiz um delicioso doce de abobora, que os chilenos nao conheciam. E o Americano e Maud adoraram. 
 
03 de outubro
Dia de seguir viagem, mais uma despedida de pessoas incriveis e momentos otimo passados juntos de Maud e Jack. Fui ate Los Hornos e procurei por hospedagem. Acabei achando caro e no mercado local passei, perguntei se carregavam celular e o padeiro pepe que estava na porta perguntou se eu era americano , eu disse Brasileiro e ele todo feliz disse que havia morado no Rio Grande do Sul e veio falando comigo no seu enrolado portugues. COnversamos ele me deu uma cerveja e disse que eu podia acampar na praia sem problema, no final me deu tres paes e seguiu de onibus para Coquimbo para visitar sua mãe. Fui ate a praia e montei minha barraca em frente a uma pedra com vista para o mar e gaivotas. Dormi tranquilo na praia. 
 
04 de outubro
Dia de longa subida. Quase tres horas  pela cuesta buenos aires depois segui para Punta choros. Magnifica paisagem pelo caminho. Ja quase anoitecendo consegui uma carona, pois ainda faltava alguns bons kilometro pelo ripio e alem do mais um forte vento contra. Consegui uma picap e a bike foi atras. Cheguei a noite em Punta Choros e fiquei em uma hospedagem. Onde dormi super tranquilo. Havia internet que pude escrever o blog e colocar mais algumas fotografias. 
 
 
05 de outubro
Claudia a dona da Hospedagem me ofereceu almoçar com ela e um amigo dela que estava se recuperando de acidente e carro. Claudia morava na França a muitos anos mais voltou a Punta Choros para tratar problemas familiares. Tambem fazia lindos quadros como hobby . Verifiquei se iria sair barco para ver os pisguins mais infelizmente com o vento forte nada de barcos. Resolvi ir para o camping  Memo Ruz em frente a praia pois era mais barato. E tentar ver os pinguins dia seguinte. Logo depois chegou um casal de suiço que estava viajando a 2 anos de kombi. Mais tarde fui caminhar na linda praia tranquila e com diversos passaros e pedras. Dormi cedo.
 
06 de outubro
Acordei cedo e fui ver se havia barco para ir ate a ilha para ver os pinguins, e nada nao iria sair. Resolvi seguir a viagem ate chanaral de aceituno, uma vila de pescadores que a amiga Maud disse que deveria visitar. Lindo caminho ate Chanaral. Na chegada procurei um camping e acabei ficando em uma hospedagem barata. 
 
07 de outubro
Tambem saia barco para ver os pinguins mais devido a pouca procura e a pouca grana que eu tinha resolvi seguir ate domeyko. Apesar dos 73 km e de ter saido tarde o vento estava a favor e fiz bem o trajeto chegando no final da tarde onde encontrei uma pousada na rota 5. Hospedagem barata e ainda jantei uma chuleta com arroz e tomate e para beber chá.
 
08 de outubro
Segui para Vallenar cedo. E trajeto feito rapido. Quase hegando a vallenar meu pneu furou. Carolina disse que iria me buscar e  me levou ate a casa de sua familia onde desfrutei de otima tarde com boa conversa, churrasco, doces, bebidas e tudo de maravilhoso e inesperado que so uma viagem assim consegue alcançar.
Depois fui para sua bonita casa no meio do deserto. Ela tinha uma vinheda onde produzia uvas para uma coperativa que fazia pisco. Sua filha estava visitando ela. Eu fiquei no quardo de seu filho que tambem nao morava mais com ela. Apesar de nova ja tinha dois filhos criados.
 
09 de outubro
Fomos a feira da raça. Um lindo lugar na montanha onde tinha comidas locais, artesanato e ate um passeio de caiaque e rapel. Bem interessante. A noite tomamos vinho com outras duas amigas suas eu fiz pizza e brigadeiro. Na volta fomos a casa de seu  primo que por incrivel que pareça tinha dois pneus aro 20 enconstado a muito tempo e novos em sua casa. Quase indo para o lixo. Ganhei dois pneus e sai todo feliz. Bike preparada para o deserto. Coisas que s´o acontecem quando se esta seguindo o seu coraçao e seus sonhos. Era para eu estar naquele momento e naquela hora naquele lugar, mesmo sem conhecendo ninguem e sem planejar nada. A lei do universo mais uma vez prevalencendo nessa viagem.
 
10 de outuro
Dia de descansar, dormi tarde dia seguinte e bebi. Como nao estou acostumado a esses dois juntos estava destruido. Beber e dormir tarde para mim me cansa mais do que pedalar por 10  horas seguidas na montanha. Mais as vezes para fazer um social e preciso. 
 
11 de outrubro
fui com carolina comprar uns botijoes de gas, kit remendo e carregador solar. Carolina era uma pessoa incrivel e merece todo meu respeito e sorte em tudo que fizer na vida. Muito solidaria e mente aberta. Gosta de conhecer novas pessoas e culturas. Me ajudou ate o ultimo instante e no final me levou ate ao inicio da estrada que me levaria ate huasco. No final e esqueci uma corda que prende a minha bolsa onde fica a barraca e acreditem ela foi comprar para mim. So tenho a agradecer e seguir em frente com disposiçao pois existe muitas pessoas boas no mundo e eu ainda pretendo conhecer muita gente e lugares.
Segui ate huasco e fiquei em uma pensao barata com intetrnet onde pude escrever o blog.
 
12 de outubro
 
Meu guidao estava com problema  e terminei tarde de consertar,por isso resolvi ficar mais um dia em Huasco. Em frente a feira havia uma feira de pulgas( vendia de tudo) e passei la e comprei umas castanhas. Depois tirei um cochilo.
 
13 de outubro
 
Sai e no caminho um caminhão pequeno parou a minha frente e me deu um saco de frutas. Eles vendiam frutas pela região. Agradeci e dei uma foto da viagem para ele. Fui ate Carrizal Bajo onde acampei em um camping desativado. So funciona no verao.  
 
14 de Outubro
 
Fui ate Caleta Pajonales onde acampei na praia. Um dos pneus que Veronica me deu durou apenas 3 dias e rasgou. E ja fiquei preocupada com o outro pneu que tinha entao mudei o plano e deveria ir ate copiapo para comprar outro.
 
15 de outubro
Dia duro até copiapo, 100 km. Pneu furado, quase nada no caminho. Mais no final  , ja a noite cheguei na cidade e achei uma pensao barata. 
 
16 de outubro
FIquei mais um dia na pensao pois como era domingo so iria conseguir ir segunda a loja de bike . Acabei comendo na rua um estofado de carne que  sua carne parecia  rabada. Antes fui ao mercado. 
 
dia 17 outubro
Dia de sair de copiapo. Deixei a hospedaje e fui até a loja de bike. La chegando fiz alguns reparos e comprei pneu reserva e câmara para enfrentar o Atacama. Aperto de raios e alinhamento da roda. Troca de corrente já frouxa e também sapata de freio já gasta. O serviço demorou um pouco mais ficou bem feito. Ao sair parei em um restaurante que servia um bom prato de frango, purê, salada por 2500 pesos cerca de R$11. As vezes é mais barato é melhor comer assim do que comprar comida para fazer. Já eram umas 14 horas é um pouco tarde para ir até Caldera. Um amigo do primo de minha amiga Verónica de vallenar morava a 10 km de copiapo e enviei WhatsApp e ele me recebeu. Morava em um lugar bem tranquilo. Fiquei na casa em frente à sua. Era a casa de hospede. Depois fui de bike comprar água e algumas coisas para comer. Voltando deitei na rede que havia e tirei um cochilo. Sem barulho nenhum. Só algumas aranhas na parede
 

18 de outubro

 

Dormi bastante. De manhã Claudio foi até a casa que estou em frente à seus pais. Depois fui tomar café na casa de seus pais em frente. Na hora do almoço fomos a copiapo de carro para almoçar em sua casa com sua mulher e sua filha pequena. Chegando em sua casa vi que tinha uma bananeira pequena mais claudio disse que devido à clima mais seco não costuma nascer banana. É a primeira vez que vejo banana sendo plantada no Chile.Depois voltamos.

 

19 de outubro

 

dia de seguir viagem. Encontrei um suico viajando de bicicleta  com destino ao sul ia um ritmo bastante forte pois tinha tempo para voltar para casa, pedalava em torno de 150 km por dia. Depois parei no posto copec e comprei um suco e um sanduwiche, um pouco caro. Logo em seguida Fernando outro viajante de bike passou por mim e seguimos juntos para  caldera na casa de sua amiga que nos recebeu super bem. Patricia era uma ex exilada chilena que morou na alemanha fugindo da ditadura.

 

20 de outubro

 

Fomos até a feira. Depois passear pela cidade e conhecemos até ao museo paleontólogo. O melhor da América do Sul aqui em caldera. E decidimos ficar mais um dia . Depois fomos ajudar a  ajudar a patricia seu marido e filhos a recolher as plantas da feira e colocar as coisas no carro e levar para despensa. A tarde comemos uma tortilha de cove flor. 

 

21 de outubro

 

Despedida de patricia e familia de caldera. Um café da manhã reforçado nos deu. E seguimos eu e o uruguaio pela costa. Nublado o tempo e ótimo para pedalar. Coloquei minha bandeira do Brasil na bike. Derrepente um carro buzinou e parou a nossa frente. Era um casal de brasileiros que viajava pelo Atacama, Paraguai e Peru. Eles tinham um canal no YouTube e nos entrevistou. Depois seguimos.  Chegamos a um povoado caleta torre inca onde umas famílias moravam. Era o nosso contato de patricia. E ficamos acampado em frente ao mAr. MAis tarde chegou o pescador chefe Pedro da região e nos ofereceu marisco e ouriço para comer. Depois convidou para sua casa onde conversamos tomamos chá e comemos pão com marisco frito. 

 

 

 

22 de outubro.

 

Havíamos somente 30 km para chanaral. Pedal tranquilo e clima fresco. Chegamos e acampamos em uma casa abandonada em frente ao posto Petrobras chile. Depois fiz um arroz e comemos com lentilha. Um rato pequeno entrou na barraca de Fernando. 

 

23 de outubro

 

 

Saimos, agora em direção a rota 5. A brincadeira iria começar no Atacama. Passamos antes no mercado e fomos à praça acesse internet livre e tomar café da manhã. Até Antofagasta sería 400 km. Fomos tranquilo, com subida mais não muito íngreme e sim tranquila. Paramos algumas vezes para tirar foto da paisagem deslumbrante das montanhas. Parecia Marte. A temperatura chegou ao maximo de 35 graus mais como estava ventando não sentimos tanto o calor. Já quase chegando uma descida impresionante de quase 10 km e temperatura que em menos de 3 horas caiu a 14 graus. Achamos um restaurante em las bombas e o dono nos permitiu acampar em um dos galpões. Depois comemos um churrasco(aqui pão com carne) e chá. 

 

24 de outubro 

 

Día duro 80 km até talarle. Sol o dia todo na cara. No. final descida de 20 km até o mar. Depois fomos tentar trocar dolares para Fernando. Nao entendo que como uma cidade no meio do atacama nao tem muita casa de cambio. No verao deve haver muitos turistas, e acredito que nao esta preparada para receber. Depois fomos a lanhouse e depois procuramos algum lugar para dormir, j´a a noite perguntando na municipalidade (prefeitura) o funcionario avistou o brasileiro saindo do cafe e nos disse, fomos atras dele.  Juvenaldo ja vivia no chile a 20 anos  e tem um café e nos acolheu em sua casa acampamos no quintal. Ele tambem era mecanico e gostava de viajar. Estava construindo um trailer para acoplar a sua pickup. Já havia viajado de moto para o brasil e conhecia muitos paises a trabalho tambem.  E ainda fez um jantar para nos. Ja tinha 65 mais era muito divertido sua maneira de ser. 

 

25 de outubro

 

Acabamos vindo de carona com juvenando até antofagasta. Era um dia que iriamos fazer muita subida e dia seguinte um trajeto que teriamos que dormir no deserto e diziam que fazia ate -7 graus. Preferimos ir de carona. 

Em antofagasta comemos choriço com pão na sua amiga boliviana, depois fomos resolver algumas coisas com ele de carro e ir a feira. As bikes atras da pickup. A tarde deixou-nos na praia onde ficamos ate 11 horas. De la seguimos para a casa da americana Grace do couchsurfing. QUe morava com uma chilena que fazia estagio em antofagasta. Grace trabalhava numa ONG que apoia empreendedores no chile. COmpartimos comemos feijao com cerveja. E dormimos com nossos conchoes em no chao da sala. 

 

dia 26 de outubro

 

Dia de descando e conhecer um pouco a cidade. Conhecemos as ruinas de huanchada que foi uma mineria no seculo XIX. Agora é um museu mostrando os beneficios das empresas mineiras para a cidade( mais não mostrou a parte critica como poluiçao da agua e etc) um pouco da regiao, fosseis de milhares de anos e etc. 

Depois fomos ao centro e a noite fizemos pizza para Grace e Cassandra que nos receberam super bem em sua casa. No final Grace tocou violino.

 
27 de outubro
 
Pelo dia descanso. A noite fomos nos 4 ( eu , o uruguaio, a chilena e a ameriana) no cassino que teria um show cover do guns'n roses, grupo de rock americano dos anos 90. 
 
28 de outubro
 
Chegamos tarde dia anterior e acabamos acordando tarde. Era dia de sair da casa de nossa amiga americana. Fomos para a praça em frente a praia e decidimos que era melhor ficarmos mais um dia em antofagasta. Tiramos uma siesta  no parque depois chegaram uns chilenos skatistas e puxaram conversa. Depois Gubiert do couchsurfing nos contactou e fomos para sua casa . La chegando havia uma amiga colombiana e conversamos um pouco. Depois ela nos deu jantar. 
 
29 de outubro
 
Saimos tarde com destino a baquedano a 71 km . Paramos para comprar pão e agua. Um senhor saiu da sua casa e nos convidou para comer um charckican( prato chileno com batata, abobora e carne) que nos deu energia extra para pedalar. Uma subida de quase 10 km no inicio depois um vento a favor e quase tudo plano. Chegando ficamos em um posto de serviço acampado. TInha banheiro com ducha. Mais tarde o segurança nos deu o wifi. 
 
 
 

30 outubro

 

Hoje partimos para variar um pouco tarde. Paramos em um mercadinho. Vendi 3 fotos lá para a dona  e um hóspede.  E Fernando vendeu uma camisa. Saímos felizes e com planos de vender mais. Depois paramos na copec (posto de gasolina) e lá ficamos. Não dava mais para pedalar com 40 graus. Depois chegou 1 funcionário do Peru. E vendi mais uma foto. Mais uns motoqueiros de Coritiba vinheram falar comigo, fizeram o Atacama e estavam voltando. Depois seguimos para Chacabuco uma ex salinera e prisão de presos políticos na ditadura Pinochet. O funcionário nos recebeu e permitirnos acampar. Acampamos dentro do banheiro feminino. Depois ele nos chamou e nos fez um jantar e conversamos enquanto víamos futebol na TV.

 

 

31 de outubro

 

Ganhamos Ainda de David um saco de maçã para viagem. Descemos até o posto para comprar água e pão. Seguimos viagem. No caminho fomos a uma salitrera el termómetro marcava 45 graus. Logo em seguida vimos uma árvore no deserto e resolvemos parar para tirar uma siesta. Ficamos até as 16 hs. Continuamos a viagem com calor Ainda que só diminuiu depois das 16 horas. O vento estava ajudando. Logo em seguida um carro parou na nossa frente e tirou uma bandeira do Uruguai e estendeu enquanto chegávamos. Eram dois casais de idosos que estavam viajando e nos felicitou, tirou fotos e seguimos. Chegamos em Serra gorda e fomos na tranquila praça. Crianças andavam de skate. Aparelhos de ginástica pra idosos. Sem duvida o melhor lugar da pequena cidade. Conversamos com os carabineros(polícia ) que nos permitiu acampar na praça. Depois ficamos na praça e crianças chegavam para nós perguntar de onde eram, quanto tempo viajando de bike. Uma nova maneira de viver que eles não esquecerão. Depois tomamos uma cerveja. 

 

1 de novembro

 

Dez meses de viagem, um filme na cabeça de tudo que passou até agora superando expectativas positivas. Muitas pessoas, lugares, culturas me enriquece como ser humano. Só tenho a agradecer a todos. Seguimos para calma. Na estrada um carro nos parou e nos deu água, suco de uva e um bolo. Depois encontramos um restaurante e comemos decentemente depois de alguns dias comendo macarrão. Tivemos prato de sopa, depois peixe , arroz e salada. Depois tiramos uma siesta em frente ao restaurante. Seguimos com a temperatura mais amena. Chegamos quase anoitecendo em antofagasta. Rene nos recebeu super bem em sua casa, fez jantar e compartilhou histórias do Chile e do mundo conosco.

 

2 de novembro

 

Dia de descando. A noite fizemos pizza. Rene saiu quando iniciamos a fazer pizza e so retornou as 3 da manha. Relaxadao depois de ter fumado muita maconha. Já tinha mais de 50 anos mais fumava a muito tempo. E eu acredito que os biscoitos dos cachorros também tinha maconha, pois nunca vi cachorro tão relaxado e tranquilo, parecia cao doidao.

 

3 de novembro

 

Tava difícil seguir viagem pois dormimos tarde na noite anterior por causa da pizza. Saimosbda casa de Rene e seguimos para praça. Conversando com os funcionários indicaram um lugar ao lado para acampar. Deixamos a bike na praça e saímos a caminhar. Depois fomos a uma hospedagem para ver o preço. Não ficamos e conversamos que precisávamos somente de um quarto ou galpão sem cama pois tínhamos colchões. E não é que conversa vem conversa vai chegamos ao clube deportivo de calama e ficamos justamente no salão fechado sem nada que conversamos horas antes, incrível essas coisas. 

Depois fomos comprar água de 6 litros e comida. Difícil achar a água. Mais encontramos. Voltamos dormimos profundo no chão do salão do clube.

 

04 novembro

 

Acordamos cedo.  Subida de. 50 km e quase início de noite chegamos no ponto mais alto. Água era pouca e 1 carro parou e. Os deu água sem pedirmos. Como sabiam que estávamos precisando? Brasileiros que viajavAm de moto também pararam e conversamos e nos deu água. Descida longa já a noite chegamos a São Pedro e fomos para praça e depois encontramos um camping. Maravilha chegar nesse lindo é famoso lugar pedalando Ainda mais com o céu estrelado.

 

5 de novembro

 

Ficamos em um camping e saímos para recorrer um pouco a charmosa cidade. Mais o calor era muito forte e não caminhamos muito. Compramos empanada e voltamos. As 16 horas nos encontramos com Isidora a amiga do fernando que nos ia alojar para os próximos dias. Nos encontramos, um casal de brasileiros viu a bike é veio até mim perguntar sobre a viagem. Depois fomos para casa de Isidora a 5 km do centro. Chegamos e ficamos em uma simples casa no meio da estrada com uma bela vista para o vulcão. Depois fomos a cidade a noite nos três para conversar e tomar uma cerveja. Voltamos também pedalando já quase 2 da manhã cantando e felizes com o céu estrelado iluminando nosso caminho. 

 

6 de novembro

 

Fomos a um dos lugares mais lindos que já fui. O valle de la luna com suas rochas, pedras , montanhas, estrada e cores únicas. Parecia mesmo que não era a terra e estávamos caminhando na lua ou en outro planeta. Fomos de bicicleta evitando as vans de turismo que ofereciam o serviço por um preço bem mais caro .Pagamos a entrada do parque e iniciamos o bonito trajeto. Depois entramos em uma caverna a pé com as bikes estacionadas em bicicletário. Continuamos o pedal é paramos em uma sombra abaixo de um paradeiro. Ficamos lá por umas 3 horas até passar o sou um pouco. Como eu tinha levado meu isolante térmico colocou lá e tirei uma siesta. Outros ciclistas, vans e carros passavam por nós. Era domingo e o movimento era maior um pouco. Depois uma alemã de bike veio até a disputada sombra e o colchão que a essa hora já tinha duas pessoas sentadas recebeu mais uma pessoa. Continuamos a linda rota co fotos e tranquilidade. 

 

Voltamos e passamos no mercado. Já eram quase 5 da tarde e não havíamos almoçado. Fizemos uma pasta com molho de verduras . E almoçamos quase a noite.

 

7 de novembro

 

Pela segunda vez na viagem a gripe queria me pegar. Acho que foi o dia anterior de forte calor no valle de la luna. Bebi pouca água para um local tão seco e quente. Ainda estou acostumando ao clima de deserto. A boca tambem fica seca. 

 

Comprei a tarde um própolis que havia acabado a alguns  dias e isso também pode ter sido um dos motivos da gripe. A tarde fui ao centro encontrar com fernando e Isidora e depois fomos a casa de uma amiga sua uruguaia conversar e fazer um lanche. 

 

08 de novembro

 

Dia de descando. Fiquei gripado pela segunda vez na viagem em dez meses. Ainda estou me acostumando ao clima de deserto. ´E necessario beber mais agua. Tambem passar mais filtro solar e tambem mantega de cacau nos labios e ate no corpo. Mesmo a minha pele que e oleosa fica seca. 

 

09 a ... de novembro

 

descansando em San Pedro

 

27 de Nobembro

 

Dia de sair de Sam Pedro depois de quase 21 dias. Subida muito dificil dos 2400 a 4600 de altitude até a bolivia. O ar nao vinha e tinha que parar a cada 100 metros ja na fase e altura de empurrar a bike. Isso em so 40 km de subida. Depois de 13 horas tivemos que acampar ao lado da estrada em um frio que ja estava abaixo de zero, a tarde fez 35 graus. 

 

28 de Nobembro 

 

Muito frio pela manha. Saimos e ainda tivemos que empurrar a bike por umas duas horas ate chegar a fronteira com a Bolivia. Fiquei preocupado pois tinha que passar pela aduana chilena dia anterior, porem acabou não tendo aduana chilena e depois de conversar na fronteira boliviana passei sem problema. Enfim Bolivia e uma linda vista para o Vulcao Licancabur e a Laguna verde. Paramos mais a frente na entrada do parque e tivemos que pagar 150 bolivianos( a moeda da bolivia). Depois ficamos no albergue em frente. Pagamos R$20 porem o albergue não tinha chuveiro. 

 

29 de novembro 

 

Dormimos bem, saimos cedo mais a roda de fernando nao estava boa e pagamos carona em dois caminhoes que vieram um atras do outro. Os caminhoes transportavam acido sulfurico do chile para a bolivia. A minha bike veio no banco do carona e eu sentado atras na cama do motorista segurando a bike para que não caisse encima do motorista em cada buraco ou solavanco que o caminhao fazia na dificil estrada tanto para bike como para caminhoes. Chegamos em um local onde havia aguas termais e ficamos na agua quente por umas tres horas relaxando os musculos e apreciando a linda vista para montanhas, passaros.  Depois o restaurante em frente nos permitiu colocar o colchão e saco de dormir dentro do restaurante e dormimos muito bem. 

 

30 de novembro

 

Pedalamos e depois de duas horas a roda do fernando continuava muito ruim, o trajeto com muita pedra, terra e vento contra e resolvemos pegar e pagar um jeep que depois de 6 horas chegamos a uyuni. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 


Contato

dobrandolando