De Puerto Montt a Santiago

20/05/2016 22:49

Depois de 3 dias na casa de meu amigo Sebastião decidi que  pedalar até Santiago seria o melhor. Porém,  não pela famosa Panamericana 5 e sim por estradas alternativas que irão me levar a  parques e paisagens mais bonitas. Pesquisei na internet e achei duas viagens de bicicleta feitas por chilenos que fizeram esse caminho que irei fazer. 

Chiloe e seu povo tem um ritmo mais tranquilo o que  me fez perceber e ir em  um ritmo mais lento na viagem , afinal de contas correr para que? O ritmo doentio, cada vez mais rapido, que a sociedade nos impõe e muitas vezes sem nos darmos conta é difícil mudar  E mesmo em uma viagem de bicicleta, que é mais lento, me custou a dar-me conta de que diminuir o ritmo seria melhor. E em  Chiloe, apesar de todas as manifestações, me fez muito bem. E voltei menos acelerado. Não que eu estava correndo muito, mais sempre é possivel diminuir e apreciar melhor paisagens, curtir mais pessoas, momentos, cidades, lugares e tudo que na vida corrida e agitada, que nós é imposta, não dá para perceber. 

21 de Maio

Sai cedo de casa, ainda escuro para conhecer o Vulcão Osorno, que dizem que está ainda ativo. Fui com meu amigo de couch Sebastião e iriamos de ônibus encontrar um grupo de chilenos e chilenas em Puerto Varas para pegarmos outro ônibus e ai então ir até o Parque Nacional Vicente Perez Rosal e seguir caminhando por uma das trilhas que levam ao vulcão. São 12 km de ida e mais 12km de volta. O trajeto passa-se por areia mole, muita subida, antigas larvas de vulcão e pedras vulcânicas. E é claro uma paisagem deslumbrante por lago e o vulcão é claro. A turma foi animada e almoçamaos no caminho. Valeu muito a pena . É lindo e impressionante voltar no tempo e imaginar esse vulcão expelindo lava e rios de fogo líguido. Depois voltamos a noite feliz por mais esse lindo lugar conhecido. 

22 de maio

dia de nadismo

23 de maio

Dia de pedalar. Fui até Puerto Varas onde fiquei na casa de CouchSurfing mariela. Almocei um delicioso nhoque com molho de cogumelo e salada de alface, tomate e cenoura. Mariela era vegetariana e gostei muito de sua comida. Morava em uma casa bem legal ao fundo via-se o vulcão. 

Depois fomos passear de carro pela pequena cidade mais muito aconchegante. Uma aluna dela depois chegou para sua aula particular de biologia. Mariela trabalhava em casa. 

24 de maio

Fomos cedo visitar o Parque Vicente Perez Rosales, na provincia da llanquihue. Dessa vez uma trilha pequena até  o lago. O tempo não colaborou, fomos de carro de Mariela. Choveu quando estavamos no carro porém no parque não choveu. Rochas vulcânicas enfeitavam o parque. E ao fundo o Vulcão Osorno. Na volta passamos na peixaria e comi um delicioso peixe com batatas e salada de repolho e tomate. 

25 de maio

Foi muito bom estar com Mariela. Uma pessoa de ótima conversa, inteligente. São dessas pessoas que você gostaria de ficar um pouco mais , pois a conversa combina e nem sentimos o tempo passar. Gostei de ver também seus livros de fotografia e me inspirou para fazer um.  

Tomamos café da manhã e nos despedimos, pois Mariela iria sair e eu logo em seguida para seguir a Ensenada, programação do dia.

Fui pedalando por quase 50 km em uma ciclovia até Ensenada. Pedalando por ela imagimamos mais autoestradas com ciclovias. TInha que ser um lugar com colonização alemã, pois eles tem esse espirito de cicloturistas. 

Choveu o dia todo mais nem me importei. Ao lado via o vulcão osorno e o calbuco que entrou em erupção ano passado. 

Cheguei em Ensenada quase a noite e fiquei na hospedaje y restaurante escala II. Conheci um senhor aposentado, ex motorista de ônibus que ia de santiago ao Rio de Janeiro. Fez isso durante muitos anos. A viagem levava 4 dias. 

26 de maio

Segui ainda por mais uns 15 km de ciclovia para depois acabar e incurtar o acostamento. Mais o dia estava lindo, de sol e calor. No final do dia peguei até um bronze. Estava precisando. O caminho muito bonito e seguia tirando foto.

Depois peguei um caminho de ripio e cheguei já escurecendo a Puerto Oktay. Procurei hospedagem mais estava mais caro do que o hotel haase que fiquei. Uma casa bonita e antiga . Fui ao mercado comprar algumas coisas. dormi profundo.

27 de maio

Café da manha incluso. Peneu estava furado e troquei camera. Já sai tarde para Osorno. Pedalei os primeiros 15 km sem acostamento, porém não tinha muito carro, mais sempe é tenso. Depois um pouco de acostamento. Cheguei a Osorno e fui recebido por Jackeline e seu esposo patricio que foram me pegar de carro no centro da cidade. Passamos pela praça que tinha um touro de bronze que é o cartão postal da cidade. É o simbolo  da cidade e eles comem muita carne. Fiquei na casa deles. Tinha uma outra casa deles que era de hospedes e de jantar com churrasqueira. Fomos ao mercado no shopping e na volta comemos um churrasco. QUe pessoas maravilhosas. 

Conversamos e compatimos. 

28 de maio

A rota 5  é muito movimentada. Para piorar esqueci de encher minhas garrafas d´agua.  Meu pneu furou 3 vezes. Apesar de tudo cheguei bem em uma pensão em Paillaco . No início da chuva. 

29 de maio

descanso

30 de maio

Uma neblina muito forte no caminho. Um acostamento muito pequeno. Coloquei meu corta vento laranja e um colete de sinalização amarelo. 

Segui indo bem ate valdivia, quando o pneu furou duas vezes. Troquei e cheguei a tarde. MInha amiga do couch yessenia e sua colega foi me buscar no ponto que marcamos. Depois fomos caminhando até sua casa. Fiquei em um quarto que estava livre. Compartimos um almoço e lanchamos. 

31 de maio

Um passeio pela cidade

01 de Junho

Hoje completa 5 meses de viagem. Nossa, que aventura . Quantas experiencias, pessoas especiais no caminho, lugares visitados. 

Para comemorar fui a niebla, considerado o balneário mais importante da região, com minha amiga olga, alemã que esta estudando por um ano aqui. Uma simpatica e bonita loira. Fomos ao museu e depois até a praia ver o mar. Na volta ainda encontrei a minha outra amiga Yessenia que estou hospedado. Acabamos comprando um Salmon e eu fiz um gostoso peixe. Como o forno estava quebrado tive que fazer a frigideira.

Ficou muito bom. 

A noite fomos ver a partida do chile contra o méxico em um pub irlandes. Tomei uma cerveja de Valdivia artesanal. Depois acabamos indo eu, yessenia, mariana e o amigo delas para uma discoteca. 

Chegamos tarde em casa.

2 de junho

Um dia de dencanso depois do da noitada.

3 de junho

Sai da casa das minhas amigas e fui para a casa da familia de Rafaela tambem pelo couchsurfing. Rafaela fazia atletismo e estudava fisioterapia. E iria participar das Olimpiadas do Rio 2016. Achei legal ir lá e conhecer sua familia. Fui muito bem recebido, almoçamos e compartimos. Depois chegou seus pais e irmãos. 

Depois fui comprar um novo pneu, uma corrente. Um dia frio em Valdivia.  Este rítmo Chilota que me encarnou desde que fui conhecer a ilha está me deixando mais devagar para conhecer os lugares. Mais está sendo legal. Afinal de contas correr para que?

4 de junho

Sai cedo para conhecer a ilha Mancera, perto de Niebla. Peguei um coletivo ( taxi que entra mais de uma pessoa sem se conhecer) coisa que não tem ainda no Brasil mais seria interessante ter. O preço e so um pouco maior do que o onibus. Depois peguei um onibus para niebla e de la um barco porem o barco so havia para corral outra ilha. E depois eu voltava e pegava um para Mancera. Muito bem fui eu lá conhecer a ilha. TIrei algumas fotos e voltei em seguida saiu outro barco para Manceda e peguei. tirei algumas fotos e voltei. 

Depois fui encontrar uma amiga da minha 1 couch em valdivia. Fomos conversar em um café sobre as concidencias que acontecem e essa força universal que cresce cada vez mais sobretudo que esta passando comigo na viagem. Ela tambem sentia isso a pouco tempo.  

Depois viemos caminhando. 

 

05 de junho

O desapego em uma viagem dessa é uma das coisas mais dificeis de acontecer. Sobretudo por que a mente não esta acostumada a se apegar e desapegar tão rápido. Conhecemos pessoas incriveis e poucos dias depois estamos partindo. 

Dessa vez foi com a familia de Rafaela. Me despedi, que já é uma coisa que nao gosto muito e segurei as lágrimas falando meio engasgado. 

Sai com destino a San José de Mariquina. E fiz bem os 50 km. Cheguei cedo e ao parar na praça da cidade mais uma dessas concidencias que não sei explicar. Parei e logo em seguida um pessoa perto de mim tirava fotos e resolvi perguntar sobre hospedagem. Ele me indicou e disse que ainda estava incluso café de manhã e janta. Coisa rara. Logo hoje eu estava chegando mais ou menos na hora do almoço e precisava uma comida mais forte pois estava pela primeira vez gripado. 

Cheguei na pensao e dona maria depois de me receber ainda veio perguntar se eu queria almoçar  um grande bife(e o almoço não estava incluso) depois fui descansar e a noite a janta.  Tudo que precisava para continuar dia seguinte sentido Villarrica.

Depois vi o jogo do mexico e uruguai pela copa america e fui dormir.

 

06 de junho

Tomei meu café da manha na hospedagem da dona maria e segui para Lancoche.  La chegando depois de novamente um dia de chuva e um acostamento pequeno fiquei na hospedagem da dona Gladys e pela segunda vez preferi pagar um pouco mais e ter direito a almoço, jantar e café da manha incluso. Uma deliciosa Cazuela que precisava de almoço para esquentar o corpo depois de eu chegar e tomar um banho quente. A noite vi o jogo do chile x argentina.

07 de junho

Segui para Villarrica onde fiquei novamente em uma hospedagem. Novamente dia de chuva.  Fui muito bem atendido.

08 de junho

segui para meu couchsurfing Soledad me recebeu em um hostal chamado Mapu mais como era couch surfing a minha amiga não me deixou pagar por dois dias.  A tarde fui levar minha calça na costureira para diminuir a cintura e apertar  nas pernas. Comprei ela pelo ebay em um tamanho maior.

Fui ao mercado e comprei vinho para contribuir no churrasco(asado)que iria ter anoite com soledad e seus amigos. 

A noite chegaram seus amigos e comemos um delicioso asado chileno. Com o incremento de uma salsicha que no brasil não costuma ter. No mais costela, carne de vaca e linguiça. 

09 de junho

Sai pela cidade para conhecer um pouco a costa. O dia estava bonito com muito sol, porém frio.  A vista do vulcão Villarrica era magnifica com sua metade coberta de neve. Parei quase em frente ao lago chamado Mallofaquén e tirei algumas fotos. O vulcão de Villarrica e considerado um dos mais ativos da America do Sul.

Depois fui a um quiosque de informações turisticas que me indicou ir de onibus uns 25 km de Villarrica chamado Lican Ray e seu lindo lago Calafquen. CHeguei lá e  comprie algo no mercado para comer e segui em direção a praia chica. Um lindo lago a minha frente e um banco para sentar. Uma paz imprecionante e uma vista incrível. FIquei lá e um cão sentou ao meu lado. Tirei da sacola meu iogurte que tinha comprado e  tomei olhando o lindo lago que parecia até um quadro gigante.  Quase ninguém na rua. Dei um biscoito para o cão. Depois segui para omirador em uma trilha e o cão veio junto ( as vezes penso que esses cães que me seguem tanto tempo são incarnação de algum parente meu que ja se foi). O cão seguiu comigo até eu entrar no ônibus e voltar para Villarrica.  Conta a lenda que Lican Ray era uma mapuche que se apaixonou por um soldado espanhol e que tiveram que fugir pois não era aprovado pelo seu povo. 

Lican Ray também é onde se tem o Triatlhon internacional em janeiro e o encontro internacional de parapent. Um lugar muito lindo.

10 de junho

Sai para Pucon. Eram somente 25 km e fui tranquilo. Acostamento muito pequeno e atençao na estrada. Parei a 14km em uma lanchonete e conversei com um morador local. Acabei dando uma foto para ele da viagem. E ele ficou todo feliz. Depois segui ate o Hostel I love pucon e como eu estava pelo couchsurfing não paguei. Porém como Jorge tinha que trabalhar fiquei andando na cidade por duas horas e fui até o lago villarrica onde se via uma vista incrivel vista para o vulcao. Parei e tomei um café.

Depois voltei e conheci outros hospedes franceses e um argentino que estava viajando e trabalhando como voluntariado na argentina e chile. 

11 de junho

Fui com o argentino que conheci Ezequiel fazer uma trilha e visitar uma cachoeira. Caminhamos bastante e no final chegamos em cima da cachoreira . Linda imagem . Depois descemos e vimos a cachoeira de baixo. Depois ao voltar um carro com duas mulheres nos deu uma carona ate pucon. 

Não pude ficar mais uma noite de graça no hostel e fui para o outro hostel que tinha pelo couchsurfing. Bravo hostel do Eduardo. 

Ja sai tarde, as 20 horas. Cheguei no bonito hostel e Eduardo gostava muito do Brasil, inclusive estava vestindo uma camisa. 

12 de junho

Fui visitar o lago caburga de onibus. Lá chegando uma linda vista. A noite vi o Peru ganhar do Brasil com las mano dos Incas

13 de junho

Dia de voltar a Villarrica para seguir a Temuco. Acabei indo antes a Loja de bike El Pelao  , onde fui muito bem atendido por Juan e Oscar fez um otimo serviço com trocas de peças desgastadas por mais de 5 mil km de pedal. Trocaram cassete, corente, cabo de freio, polia inferior do cambio traseiro que estava competamente desgastada, alem ca coroa do meio. E desempenaram roda. Um serviço dificil e de otimo profissional. Nao ´e facil fazer isso, em villarrica a bicicletaria nao coneguiu nem tirar a corrente velha da minha bike. 

Sai datisfeio e a bike voando. Cheguei em villarrica e iria para Temuco, mais como ja era quase 16hs preferi ficar no hostel Mapu que havia ficado antes de ir a Pucon da minha amiga do couchsurfing Soledad. 

14 de Junho

Sai cedo e consegui ir até Temuco. No caminho um carro me abortou. Era o couch eduardo que havia ficado em pucon a 2 dias atras. Estava levando hospedes do hostel para o aeroporto.. Conversamos um pouco e ele partir. Aproveitei para almoçar. A estrada era boa e consegui fazer os 80 km ate temuco. Ainda nao havia onde ficar. Parei para comer umas batatas fritas e depois fui a procura de um hostel. Achei caro e depois minha bateria do celular acabou. Passei por uma lan house e resolvi entrar. Enviei algumas solicitudes para couchsurfing e Julian um colombiano que morava em Temuco aceitou minha solicitude. Fui para casa dele, mais so chegava as 22hs. Cheguei as 21hs e esperei em frente a seu apartamento. Depois ele chegou e fomo para um andar alto 13 andar. Com uma linda vista de temuco. Sem duvida era um dos maiores apartamentos de temuco. 

Ele morava com outro amigo de santiago. Conversamos e eles fizeram um macarrao com molho e tambem abacate. 

Depois tive que dormir em sua cama, era de casal. Mais senti um pouco estranho. Bem acabei dormindo mais nao muito confortável. 

15 de junho

Fui ao museu Regional Araucania onde estava tendo uma exposiçao fotografia e historia mapuche e de tempos pre-hispanicos até a atualidade. Bem interessante.

Depois fui ao shopping e ao mercado jumbo. Achei açai poupa bem pequena por uns R$15. Achei caro e nao comprei. Mais foi bom saber que tem no jumbo, foi tentar mais a frente. Sem duvida em santiago também terá. Acabei fazendo umas compras pequenas, um pouco caro. Esse é um mercado que tem coisas do mundo todo. Diferenciado.

A noite foi a um aniversário de amigo de Dani , uma couch , que nao pode me receber mais me convidou para ir. Seu amigo era presidente de uma associaçao de grupo de apoio para pessoas discapacitadas mapuches e chilenos. Mais para o interior. Tinha também outros amigos no bar. Tomamos uma bebida que parecia caipirinha chamada pisco sour. Depois voltei na noite gelada.

16 de junho

Fui convidado a ir com outro amigo da dani que estava no dia anterior a uma palestra no hospital mapuche. Mais a palestra foi em uma Ruka ( uma tenda mapuche com um fogo no meio) muito interessante. La dentro diversas pessoas mapuches e depois teve musica com instrumentos mapuches. O fundo era para conseguir instrumentos para serem comprados. Voltar a cultura tradicional que aos poucos vão se perdendo.

 

 

 

A noite fomos a um bar chamado La vida ver uma música Chilena ao vivo. Era uma amiga de meu couch que iria cantar. Uma casa bem bonita com paredes repletas de arte. Depois uma outra moça cantou Violeta Parra, uma cantora do folclore chileno. E comemos Chorrillana, um prato tipico do chile que mistura batata frita, diversas carnes, cebola, temperos e alguns outros legumes. Muito bom. 

17 de Junho

Dia de fazer nada. 

A noite vimos o jogo da colombia x peru

18 de Junho

Dia de passear

19 de junho

Foi dia de despedida e fiz a comida para meu amigo Julian. Carne, pure, brocolis e suco de abacaxi.  Depois fui para casa de mãe e filha do couchsurfing,um dia especial, mais um nessa incrível viagem de descobrimento, cultura, compartilhamento e verdadeira saúde a vida. Fui recebido na casa de Erika e sua filha Karla. Duas incríveis chilenas. Como já viajaram muito todo mundo entendem um viajante. O detalhe Karla vive em uma cadeira de rodas e nem por isso deixa de viver. Já viajou o mundo todo mesmo sendo portadora de deficiencia fisica, ama a vida. O seu trabalho permite viajar bastante. Compartilhamos, comemos e conversamos muito. Parecia que eu já as conhecia a anos. Depois chegou a vizinha Eli, preocupada para saber quem era o "forasteiro". E que vivia como muitos a rotina que a sociedade nos aprisiona e as vezes queremos sair disso e não conseguimos. Resumindo ela também compartiu e conversamos muito. E acabei indo dormir em sua casa e ela teve a primeira experiencia de couchsurfing. E disse que ia mudar e pedir uma licença do trabalho e viajar muito a fora. Moral da História. A verdadeira limitação é da nossa mente. Nós que nos limitamos. Não é uma cadeira de rodas, pouco dinheiro, idade que limita o ser humano e sim nossa mente. Se você quer você faz!!! Muito feliz de conhecer essa familia e sua vizinha. Muito obrigado por tudo e pelo aprendizado!!!

20 de junho

Fiquei até tarde na casa de Eli. Ela deixou o café da manhã para mim pronto antes de ir ao trabalho. Comi e esperei ela chegar para o almoço. Almoçamos e já era 16hs. Depois fui para a casa da Karla e Erika minhas couchsurfing do andar de baixo. Lá ajudei a fazer pão e pastel e compartimos a noite. Mais um dia especial.

21 de junho

Primeiro dia do inverno, muito frio mais mesmo assim fui caminhando por uma hora até ao museu ferroviário Pablo Neruda. Lindo museu a céu aberto com trêns que eram quase hoteis ambulantes que funcionava na época da decada de 1930. Na verdade não sei por que essas coisas não funcionam hoje em dia. Ainda me lembro de quando era criança fui uma vez a uma viagem do Rio a Sâo Paulo de Trem e ainda havia quartos e camas, depois disso acabou. Foi fantástico!!! 

O museu também tinha muitas poesias a céu aberto. 

A noite fui a uma exposição de fotografia na ilha Rappa Nui onde se encontra estatuas de mais de 500 anos feitas em pedras de até 10 metros. 

depois voltei e lanchei com a vizinha Ely.

22 de junho

Saí destino a Labranza. La fiquei na casa de minha outra amiga do couchsurfing Pamme. Ela me recebeu super bem. E fiquei super a vontade em sua casa. Depois ela teve que sair e fiquei sozinho em sua casa.  Depois fizemos chaparritas, um salgado em forno com champignon, salame e ovo. Muito gostoso. A noite vimos o Chile ganhar a colômbia. 

23 de junho

Segui para Nova Imperial e fui recebido pela irmã de Carmen que me ofereceu caqui. Nem acreditei que existia caqui aqui no chile. Comi aquele caqui delicioso, depois me ofereceu um delicioso almoço com uma carne assada muito macia e uma batata. Mais tarde chegou Carmen e seus pais. E novamente lanchamos. Já estou ficando inchado no chile de tanto comer esses dias. E já sentindo falta de não comprar mais pão. Vou passar a comprar mais frutas, granola e aveia. 

24 de junho

Fui conhecer o museu mapuche da cidade. Ganhei um desconto e paguei apenas mil pesos. Depois que saí achei caqui e levei alguns. Também levei um pomelo para tomar mate. 

Depois almocei um salmão frito e fui dar uma volta de bike para tirar umas fotos e ir até uma ponte e um grafite bonito da cidade. 

A noite seu pai fez um asado e comemos e compartilhamos. 

25 de junho

Já estava preparado para seguir viagem e pai de Carmen , seu Cupertino me convidou a ir ao sítio. Foi um ótimo dia. Com direito a matar e comer um porco, pegar maça do pé passear com sau avó de 85 anos até a casa antiga que ela viveu. Depois voltamos para sua casa. Um dia especial. Lembrou o sitio de meus avos que tinham em Campo Grande.

26 de junho

Saí com destino a Puerto Dominguez. A mae de minha couch ainda me deu alguns ovos cozidos da sua granja e três pedaços de carne. Que famìlia incrível. 

Chegando a Carahue havia uns trêns antigos que fotografei. Depois a poucos quilômetros de Puerto Dominguez passou um carro por mim e saiu o Leonardo que me disse que jà tinha feito a patagônia de bike. DIzia que eu poderia ficar em Puerto Saavedra em sua casa, ou melhor na casa de seus pais pois sua esposa nao ia muito com a cara de cicloturistas.

Cheguei a Puerto Dominguez e fiquei em uma hospedajem na rua principal da cidade. Náo tinha internet. A noite vi o chile ser campeao na televisao da hospedagem. A imagem estava muito ruim mais deu para ver. Parecia aquelas imagens de antigamente.

27 de Junho

Sai da hospedagem e fui atè o barco que me transportaria para seguir pedaleando atè Puerto Saavedra, um passeio bonito, náo paguei nada e havia somente mais um carro com um casal. Saiu as duas horas do feriado de segunda feira. 

Jà saì e voltei a pegar ripio, faltando 10 km para chegar a cidade parei em um cafè em uma barraquinha de uma familia mapuche. Depois fui convidado a entrar para dentro da casa e tomar um cafè. La dentro tinha crianças e adultos e enquanto tomava o café e comia pao conversava com os mapuches sobre a viagem. 

Uma mapuche me convidou para ir para sua casa iria me dar hospedagem e incluso cafè da manha. Seu marido e sua máe era Rappa Nui e movaram là. Là em sua casa conheci sua familia e seu marido fazia os moais e vendia outras artesanias. Sua mae apareceu logo em seguida e me levou para o mato. Uma figura, quase na escuridao total saimos eu ela , com seus 65 anos, e tres cachorros. No meio do mato para procurar seus gados. Por sorte eu tinha lanterna no celular, e mesmo com a bateria acabando seguimos naquela escuridáo. Depois voltamos pegamos a lanterna e sua máe queria me levar para conhecer o mar. Seguimos por mais duas horas no meio do matagal. Foi uma experiencia incrível com aquela Rappa Nui me contando  historias e lendas de seu povo.  Gostei muito de conhecê-la e ver que nao tinha medo de nada. 

Depois voltamos e eu tomei um banho de caneca, pois a agua estava fria. 

28 de junho

No café da manha outra surpreza.  Depois de colocar pao e café na mesa a minha amiga mapuche veio com um prato de carne de cavalo para acompanhar. Confesso que foi um pouco indigesto para aquela hora da manha e eu pensando no cavalo, coitado. O gosto era bom, como meio bife de vaca e meio figado. 

Segui para Puerto Saavedra e là chegando contactei o Leandro que dias atras me disse que poderia ficar em sua casa. Depois fui ao seu trabalho e ele me levou para sua casa para almoçar. Conheci sua filha linda de 1 ano. Depois ele voltou para o trabalho e eu fui tirar algumas fotos da cidade. Na volta passei em seu trabalho. Saìmos e eles me deixou na casa de seus pais, onde eu iria passar a noite.

Eles haviam um  nègòcio ao lado onde moravam e tambèm tinha lan house onde eu escrevi o blog. Conversei com seu pai e depois fui convidade para fazer um lanche. Mais uma familia bem bacana que conheci. Depois chegou seu irmáo que tambèm fazia cicloturismo. E me mostrou seus alforges ortlieb. 

29 de junho

Fui ver a dança de cueca ( dança tipica do chile) . Depois segui para Tirua. Como enfrentei ripio e ja sai tarde fiquei a 30 km. Passei em uma lanchonete já quase anoitecendo e perguntei por alguma hospedagem. Me informaram mais 2km em uma escola. Rani era inspetora de alunos e nao so me deu alojamento como nao cobrou nada. E ainda me ofereceu lanche e cafe da manha de graça. 

30 de junho

Sai cedo e cheguei cedo a Tirua. Acabei almoçando bem barato em um restaurante. Tentei ficar na casa de minha couchsurfing mais ela trabalhava ate tarde. Acabei ficando em uma pensao que nao havia internet mais um otimo jantar incluso, charcican e frango.

01 de julho

Hoje um dia especial 6 meses de viagem. Pedalei quase 70 km ate Canete. E fiquei em um hostal meia boca. Com internet muito ruim e quarto bem pequeno. 

02 de julho

Fui ate Curanilahue. Onde fiquei no residencial 958 do Sr. Antonio, sua esposa e mae. Ao contrario dia anterior esse alojamento possuia muito espaço. Deu ate para eu colocar a bicicleta dentro e resolvi ficar mais um dia. 

03 de julho

Continuei em Curanilahue. Aproveitei para descansar. Pois já havia quase uma semana direto de pedal.  A internet era boa e vi o jogo do flamengo x corinthians. Sai tambem para tirar fotos e ir ao mercado.

04 de julho

Fui ate coronel. Algumas subidas ingremes mais como a estrada era boa consegui pedalar bastante. Fiquei no residencial monica. Um lugar bem simples. A recepcionista não sabia nem se tinha internet. A noite me disse se iria sair pois iria trancar a hospedagem e ir embora e so voltaria dia seguinte. Surreal. Aparentemente so tinha eu na hospedagem. 

05 de julho

Dia de ir a Concepcion, a segunda cidade mais importante do chile depois de Santiago.  Nao havia que pedalar muito porem o transito nos 15 km finais era intenso, e caminhoes e carros passavam por mim bem perto. Mais segui tranquilo porem verifiquei que minha roda estava rachada. Ocasionada possivelmente pelo desgaste da sapata de freio que ja estava no aço, quase sem a borracha que fazia-a freir. Isso fez com que esquentasse a roda. Mais consegui chegar a cidade. La, depois de passar pela linda ponte, cheguei a uma rua chamada maipu, que havia diversas lojas de bicicletas porem so uma, a do Manolo(Taller de bicicletas), a segunda da rua do lado esquerdo conseguiu ver soluçao para o problema. 

As outras não quiseram fazer pois dava muito trabalho e preferiam vender. Deixei as coisas na casa de Olivia, minha couch, e voltei la. Deixando novamente a bike para pegar no dia seguinte. Depois voltei e fui com Olivia passear um pouco  pela cidade, acabamos vendo um violinista tocando e com um boneco que ele criou tocando piano a sua frente, muito bonito. Depois fomos jantar no restaurante "embora", um bije a lo pobre com fritas e ovo. Muito bom. Olivia e muito simpatica e me senti em casa. 

06 de Julho

Sai para  conhecer a cidade. Me pareceu moderna, com ciclovias, parques, museus. Era conhecida como a Cidade Universitaria, pela quatidades de estudantes e Universidades. 

Fui a Pinaconteca ver um mural lindissimo sobre a America Latina e tambem esposiçao de quadros. Depois fui visitar de onibus a cidade de Talcahuano e Caleta Tumbes. Saquei fotos e almocei mariscos. 

Depois voltei e peguei a bicicleta. 

07 de julho

Fomos almoçar com sua amiga Vanessa um Pastel de papas( especie de pure com carne desfiada). Na volta sua a amiga de minha couch Vanessa me presentiou com um mapa do chile. 

A noite fui com minha couch Olivia a uma feira Artesanal, a noite fiz um jantar de despedida para Olivia.

08 de julho

Segui para Tomé. Algumas subidas. CHeguei cedo as 15 horas e me deparei com uma praia na cidade ao chegar. Muitos Leoes marinhos na areia. .Eperei meu couch Abel ate umas 20 horas e  conversei com um morador pinguço ate meu couch apareer. Subimos uma ladeira ingreme. Sua Mae Luzumira estava nos esperando com porotos com rienda( uma espécie de macarrão com feijão). Muito simpática sua mãe, parecia que eu já a conhecia a anos, sempre sorridente. Depois comemos uma marmelada caseira que ela tinha feito. 

09 de julho

Fomos a feira para eu comprar alguma coisa antes de partir. Depois abel foi comigo ate uns 3 km pedalando com sua bike dobravel. Ai eu parti sozinho pelo ripio. Duro trajeto ate Vegas de Itata. Procurei um alojamento e nao encontrei. Parei em um bar e eles me indicaram ir até a policia. Fui lá e expliquei a situação. Acabei tomando uma carona no carro da policia, dobrei a bike e coloquei na mala onde geralmente iam os presos.  Fui ate a cidade Coelemu pois tinha um outro policial que iria ser subistituido e me deu uma carona. 

Cheguei la e pensao castelon onde passei a noite. 

10 de julho

Dia de muita chuva e acabei ficando na pensao  nesse domingo. Pela manha vi o jogo do flamengo pela internet e a tarde na tv portugal ganhar pela primeira vez a Eurocopa da França. 

11 de julho

Fui para Quirihue e cheguei cedo. Na hospedagem que era tambem restaurante ainda tinha uma cazuela de frango que almocei. Depois fiquei conversando com a filha da dona que era tambem professora de educaçao fisica e gostava de viajar. A noite vi dois bons filmes na tv. Um , a teoria o amor e outro o apostador.

12 de julho

Cheguei em Cauquenes e fui muito recebido por Christian e familia. Os dois eram jovens, deviam ter uns 43 anos  ja tinham uma filha de 20 anos que morava em Santiago e um  jovem de 15 anos. Christian já tinha usado muito o couchsurfing em suas viagens e resolvei retribuir da melhor maneira. Deixando um quarto so para os couchsurfing. Tambem nao deixava faltar nada e tive almoço, café da manha e janta da melhor qualidade. Resumundo um hotel 5 estrelas do couchsurfing. Sua esposa gostava de viajar mais preferia um pouco mais de conforto em um hostel ou hotel, viajava com o filho. A empregada Helena tambem  muito gentil me recebeu quando cheguei e lavou minha roupa. O que eu queria mais. Conversamos e comemos uma pizza. Nao tenho como agradecer tanta gentileza. Resta so seguir e recordar de mais esse momento especial. 

13 de julho

Christian viajou e fiquei em sua casa com seu filho, esposa e empregada. Almocei cazuela de carne e a noite um once ( lanche chileno) que subistitui a janta. Choveu o dia todo e resolvi ficar. 

14 de Julho

Depois de mais um delicioso café da manha com cereais e frutas segui para Chanco para ficar na casa de Karina do couchsurfing. Chegando la fui muito bem recebido. Era um escritorio de arquitetura em que funcionava a empresa e a casa onde viviam mais duas arquitetas. Uma delas Sandra me recebeu tambem muito bem. Tambem trabalhavam la dois estagiarios de Santiago. 

15 de Julho

Permaneci em chanco onde fui a praia depois de uma caminhada de 40 minutos por uma trilha. A cidade é bem tranquila e gostosa. 

Depois fui ao mercado e Karina me contactou por whatsapp se nao iria almoçar. Disse que sim, comprei algumas coisas e na volta almocei  na mesa coletiva com todos da empresa. Cerca de 6 pessoas. 

Depois a tarde as Karina me deixou em Pelluhue de carro pois ela e as outras meninas iriam trabalhar pela area. Visitei a praia e sentei no banco para ver o mar. 

Depois voltei de coletivo(taxi que pagamos o mesmo que onibus) ate Chanco. 

A noite Karina me convidou para jantar em sua casa. Onde eu estava era o escritoria em que ela trabalhava como Arquiteta e tabem empresa. Onde as 4 mulheres trabalhavam. Uma cidade pequena, e essas meninas fortes e determinadas é bonito de ver. 

Comi uma rica carne que compartimos com vinho e depois um charuto da republica dominicana, muita convera conversa e a noite ficou animada. . . Mais tarde chegou seu amigo com outras amigas de Santiago que estava fazendo uma vizita. Depois fomos a discoteca local e dançamos muito. Obrigado mais uma vez pela maravilhosa noite. 

 

16 de julho

Dia de ressaca e descanso.

17 de julho

Ia sair para Constituicion mais choveu o dia todo. Acabei ficando mais um dia. Fui a feira da cidade e comprei frutas, verduras e legumes. Vi uns filmes no netflix muito engraçados. A noite a amiga espanhola que tambèm era arquiteta e trabalhava e morava no escritorio casa chegou. Compartilhei com Karina e a Espanhola e comemos cholgas(um marisco) com limao de pica(cidade  ao norte do chile).

18 de julho

Despei do pessoal e segui para Constituicion. Um dia bonito de sol e calor. Jà etava atè desacostumado. Meu pneu furou a 10 km do inìcio. 

Segui pedalando pela estrada e sem acostamento a maior part do tempo. Parei para almoçar abacate com pão em uma parada de onibus. Chegou um chileno com suas duas filhas que faziam faculdade de arquitetura. Viu minha bike eu disse de onde vinha e ele disse que eu deveria ter tido uma briga por ter abandonado minha familia e esta viajando de bike. E eu disse que pelo contrario eu agradecia a eles por me estar apoiando nessa viagem tão incrivel de descobrimento, conhecimento e muita felicidade. Depois dei uma foto da viagem a eles e no final ele e suas filhas diziam que quando eu voltar poderia ficar na pensão que eles tinham de graça e que ele tinha essa vontade tambèm de fazer o que eu estava fazendo. Mais um momento interessante nessa viagem.

Continuei  o pedal e cheguei em Constituicion umas 16hs. Havia combinado com Pablo do couchsurfing que iria me pegar na praça as 18:30. Aproveitei para ir ao restaurante e almoçar. 

Depois sai e esperei na praça principal. Pablo chegou e fomos caminhando até sua casa. Ele era Engenheiro e também cicloturista. Estava esperando tambèm a sua hora de sair do trabalho e viajar pelo mundo. Tambèm não via mais sentido na sociedade doentia, consumista. Muito bem articulado falamos de politica do chile e compartilhamos um jantar em sua casa depois de irmos ao mercado. 

19 de julho

Acordei ainda tudo escuro.  Segui o concelho de Pablo e peguei um trem de constituicion até Talca. Uma viagem linda de 3 horas e meia por uma das ultimas linhas de trem do Chile. O governo do chile preferiu manter a linha do trem  que saia mais barato do que fazer uma estrada. O trem seguia em ritmo lento e passava por vilarejos e locais com simples casas, pontes, montanhas, lagos. Uma volta no tempo. Linda viagem. Pessoas do campo que traziam produtos para vender na feira de concepcion tambèm pegavam o trem. O trem saia duas vezes ao dia uma as 07:15 e outro as 16:40. Voltei no trem da tarde.

A noite jantei na casa de Pablo.

20 de julho

Fui em direçao a Duao onde me hospedei em um restaurante hotel em frente a praia. Com um dono super gente fina. Lembrava-me sempre do Romario, jogador do brasil.  A pensao  nao possuia internet em compensação uma linda vista para o mar e um lindo por do sol. Preferi trocar a internet pela linda vista. 

21 de julho

A intensão era ir até Pichilemu porem a montanha que tive que subir com ripio so me permitiu ir ate Bocalemo. E ai fiz o certo pois já estava indo em direçao a pichilemu e voltei pois ja estava ficando sem agua e escurecendo.

22 de julho

Fui ate pichilemu e fique no hostel Kueen. Como disse que era do couchsurfing nao paguei. Fui ao mercado comprar coisas caloricas para repor a energia. Tambem comi um gostoso peixe no restaurante com arroz e salada.

Depois segui e fui ate a biblioteca. Lá havia wifi livre. Contactei Jose Luis do Hostel Kuyen e fui para lá. Descansei e depois fui ao mercado.

23 de julho

Fui ate litueche . Dia todo chuvendo e fiquei na pizzaria e pensao onde depois de chegar comi uma excelente pizza de frutos do mar. 

24 de julho

Segui para Melipilla ainda com chuva e muita subida e descida.  Fiquei na casa da minha couch Katherinne que tinha tambem um negocio. Vendia deliciosas empanadas. Comi uma quando cheguei. Conversamos e depois fui dormir.

25 de julho

DIa de ir para Santiago. Um dia duro. Sorte que nao choveu e a estrada era boa. Segui no bom acostamento. Iria para casa de Pilar amiga de uma couch Mariela que fiquei em Puerto Varas. Me perdi em Santiago e quando vi tinha que pedalar mais uns 20 km no transito feroz de santiago hora indo pela ciclovia ou com os carros nervosos. Cheguei a noite na casa de Pilar e fui bem recebido.

Pilar era muito viajada e conversamos bastante. 

Depois de quase 6 meses e 25 dias e quase 7 mil km cheguei a santiago. Agora irei ao Rio de aviao do dia 28 de julho a 28 de agosto e deixarei a bike com as coisas em Santiago. Na volta irei para o Deserto do atacama. Agradeco a todos que contribuem ou contribuiram com esta viagem. Serei eternamente grato.

26 de julho

Fui com minha amiga pilar passear de carro e seu cão por algumas ruas e praças de Santiago. Tiramos fotos, almoçamos panquecas e tomamos sorvete. Depois uma ida ao shopping. Um dia muito legal com uma pessoa especia.

 

28 de julho a 28 de agosto

Férias no Rio para as olimpiadas, voltando para Santiago de avião



Contato

dobrandolando